Quanto custa para tirar o visto?

Quanto custa para tirar o visto?

Vai viajar para o exterior pela primeira vez? Veja quanto custa para tirar o visto e conheça outros documentos necessários para este tipo de viagem!

Banner 728x90 Banner 300x100

Saber quanto custa para tirar o visto é essencial para a sua viagem internacional. Não são todos os países que exigem esse documento em viagens a turismo, no entanto, dependendo do seu destino, você pode ter que providenciar a sua emissão com uma certa antecedência.

Para tirar o seu visto, é necessário, antes, saber qual o documento que você realmente precisa. Em viagens para os Estados Unidos, por exemplo, o visto é o americano. Já para o Canadá, o visto é o canadense. Por isso, é fundamental que você verifique qual será o documento exigido para o seu caso.

Vai viajar para fora do Brasil? Saiba quanto custa para tirar o visto e veja quais são os outros documentos que você pode precisar.

Quanto custa tirar o visto americano?

Tirar o visto americano custa 160 dólares. Esse valor é referente à categoria de visto B-2 (relativa a turismo) e pode ser pago de duas formas: por boleto bancário ou por cartão de crédito. A diferença entre esses dois meios é o tempo de compensação do pagamento – se feito com cartão de crédito, a compensação é imediata, enquanto para o boleto pode demorar até 3 dias úteis.

Para realizar o pagamento, o passageiro deve acessar o site oficial de agendamento, clicar em “Inicie sua Solicitação” e assinalar a segunda opção, que diz que o formulário de solicitação do visto DS-160 já foi completo. Será preciso criar uma conta no site e informar alguns dados pessoais, além do número da solicitação do visto.

Somente após a compensação do pagamento é que você poderá agendar a sua entrevista para dar continuidade no processo para tirar o visto.

Qual o preço do visto canadense?

Há dois tipos de vistos canadenses. Para cada um deles, há uma taxa diferente.

O primeiro deles é o eTA (Autorização Eletrônica de Viagem). Trata-se de um visto mais barato, uma vez que, para ser emitido, exige que o turista já tenha um visto americano válido ou tenha tido um visto canadense nos últimos 10 anos.

A taxa cobrada é de 7 dólares canadenses e só pode ser paga por meio de cartão de crédito. É importante saber que esse valor não é reembolsável. Por isso, é fundamental que você confira se você realmente cumpre os requisitos necessários para ter este tipo de visto antes de realizar o pagamento.

O pagamento deve ser feito após o preenchimento do formulário de solicitação no site do Governo do Canadá. Não esqueça de imprimir o seu recibo, pois você não terá outra oportunidade para imprimi-lo.

O segundo visto que você pode tirar pra ir para o Canadá é o TRV (Temporary Resident Visa), que é o visto tradicional. Ao contrário do eTA, ele pode ser emitido por qualquer pessoa que tenha o interesse de entrar em terras canadenses.

Tirar este tipo de visto custa 100 dólares canadenses por pessoa ou 500 dólares canadenses para famílias de 5 pessoas ou mais. Além disso, também é cobrado um valor à parte referente ao cadastro da biometria. O valor é de 85 dólares canadenses ou 170 dólares canadenses para famílias com 2 pessoas ou mais.

O pagamento deve ser feito por cartão de crédito ao final do preenchimento do formulário de solicitação, encontrado também no site do Governo do Canadá. Não deixe de imprimir o seu recibo, pois você não terá outra oportunidade para imprimi-lo. Faça a impressão em duas vias, anexando uma aos documentos exigidos para a emissão do visto e guardando a outra com você.

Qual o valor do visto para Portugal?

Diferente dos Estados Unidos e do Canadá, Portugal não exige que o turista brasileiro apresente um visto para conseguir entrar no país. No entanto, essa condição só é válida para brasileiros que queiram ficar por até 90 dias no país, podendo ser prorrogada para 180 dias.

A maior parte das pessoas que procuram o visto para Portugal têm a finalidade de ir morar no país. Dessa forma, há diferentes tipos de vistos, que variam conforme a situação do cidadão. Há visto para estudantes, trabalhadores, empreendedores, aposentados, investidores e donos de startups no Brasil.

O visto temporário é voltado para estrangeiros que vão passar mais de 6 meses e menos de 13 meses no país. É possível tirar este documento em situações diversas, como em tratamentos médicos (seja paciente ou acompanhante de familiar), voluntariado, atividade profissional independente, entre outras.

Tirar este tipo de visto custa R$676,35. R$497,31 correspondem à taxa Consular, R$13,27 à taxa de transferência e R$165 à taxa de processamento. Além disso, há ainda a cobrança de outros serviços utilizados. Vale ressaltar que esse valor pode mudar de acordo com a variação do euro.

O pagamento pode ser feito por cartão de débito ou crédito, ou, ainda, por depósito bancário. Ele é feito no mesmo dia da entrevista necessária para tirar o visto.

Já o visto de residência é para estrangeiros que pretendem ficar no país por mais de um ano. Ele também é válido para pessoas que vão a trabalho para ficar por mais de 9 meses no país.

Este tipo de visto custa R$777,82, sendo R$596,78 de taxa Consular, R$15,27 de taxa de transferência e R$165,77 de taxa de processamento. Outros serviços utilizados também podem ser cobrados. A variação do euro também pode fazer com que esse valor se altere. Por isso, consulte o site do Consulado Geral de Portugal para ter um melhor planejamento financeiro.

As condições de pagamento são as mesmas do visto temporário: são aceitos cartões de débito ou crédito e, também, depósito bancário, sem a possibilidade de pagar com dinheiro em espécie. As taxas são pagas no mesmo dia da entrevista para tirar o visto.

Países que exigem visto

Além dos países mencionados acima, há ainda uma série de outros países que exigem a apresentação do visto de turistas brasileiros. Abaixo, confira a lista completa:

  • Afeganistão;
  • Angola;
  • Arábia Saudita;
  • Argélia;
  • Austrália;
  • Azerbaijão;
  • Bangladesh;
  • Bahrein;
  • Benin;
  • Brunei;
  • Burkina Faso;
  • Burundi;
  • Butão;
  • Cabo Verde;
  • Camarões;
  • Camboja;
  • Chade;
  • China;
  • Comores;
  • Coreia do Norte;
  • Cuba;
  • Costa do Marfim;
  • Djibouti;
  • Egito;
  • Eritréia;
  • eSwatini / Suazilândia;
  • Etiópia;
  • Gabão;
  • Gâmbia;
  • Gana;
  • Guiana Francesa;
  • Guiné;
  • Guiné-Bissau;
  • Guiné-Equatorial;
  • Iêmen;
  • Ilhas Cook;
  • Ilhas Marianas;
  • Ilhas Marshall;
  • Ilhas Maurício;
  • Ilhas Salomão;
  • Índia;
  • Irã;
  • Iraque;
  • Japão;
  • Jordânia;
  • Kiribati;
  • Kuwait;
  • Laos;
  • Lesoto;
  • Líbano;
  • Libéria;
  • Líbia;
  • Madagascar;
  • Malaui;
  • Mali;
  • Mianmar;
  • Moçambique;
  • Mauritânia;
  • Nepal;
  • Níger;
  • Nigéria;
  • Omã;
  • Papua Nova Guiné;
  • Paquistão;
  • Quênia;
  • Quirguistão;
  • República Centro-Africana;
  • República Democrática do Congo;
  • Ruanda;
  • São Tomé e Príncipe;
  • Serra Leoa;
  • Síria;
  • Somália;
  • Sudão;
  • Sudão do Sul;
  • Tadjiquistão;
  • Taiwan;
  • Tanzânia;
  • Timor-Leste;
  • Togo;
  • Turcomenistão;
  • Uganda;
  • Vanuatu;
  • Vietnã;
  • Zâmbia;
  • Zimbábue.

Quais são os outros documentos necessários para uma viagem internacional?

Além do visto, dependendo do seu destino, outros documentos são necessários, como o passaporte e certificados de vacinação.

O passaporte é exigido na maioria dos países do mundo. As exceções são os países da América do Sul participantes do Mercosul. Para eles, brasileiros só precisam apresentar o RG.

Cuidado! No Brasil, outros documentos são aceitos como documentos de identidade, como a CNH, por exemplo. No entanto, para embarcar para os países do Mercosul, deve-se apresentar o RG. CNH e outros documentos não são aceitos, mas somente o RG.

O Certificado de Vacinação também pode ser exigido para a sua entrada no país de destino. África do Sul, Austrália e Bolívia são alguns exemplos de países que requerem este tipo de documento. Normalmente, a vacina mais exigida é a de Febre Amarela, mas pode haver outras. Saiba mais sobre este documento nesta matéria.

Para dirigir no exterior, pode ser que você precise da Carteira de Motorista Internacional ou da Permissão Internacional para Dirigir (PID). Ela pode ser solicitada junto ao Detran do seu estado.

Além disso, em alguns países você também pode ter que apresentar o comprovante de hospedagem, o seu dinheiro reservado para a viagem e a passagem de volta para o seu país de origem. Esses documentos normalmente são solicitados na imigração para provar que você não tem más intenções para com o país onde está tentando entrar.

Para mostrar os comprovantes de hospedagem e passagem de volta, basta imprimir os documentos e apresentá-los quanto forem solicitados. Já o dinheiro, caso você não esteja com toda a quantia em espécie, é possível mostrar um extrato bancário atualizado e uma fatura do cartão de crédito com o limite de compra.

Por fim, algo que é altamente recomendável para alguns destinos e obrigatório em outros é o seguro viagem. Sua principal função é garantir atendimento em urgências e emergências médicas ao segurado enquanto ele estiver no exterior. Saiba mais sobre como funciona o seguro viagem e onde ele é obrigatório nesta matéria.

Há alguns seguros que, além de cobertura de despesas médicas, também oferecem coberturas contra alguns problemas com voos, como o extravio de bagagem, perda de conexão e atraso e cancelamento de voo. Neste caso, o seguro é mais completo e garante uma experiência mais segura ao viajante.

Se você tiver algum problema com voo e o seu seguro não cobrir este tipo de situação, a Voe Tranquilo pode te ajudar! Somos uma empresa especializada em auxiliar o passageiro que teve seu voo atrasado ou cancelado, assim como aquele que perdeu sua conexão, teve sua bagagem extraviada ou foi vítima de overbooking.

Dependendo do seu caso, você pode ter direito a uma indenização. Preencha o nosso formulário e tenha uma avaliação gratuita do seu caso!

Para saber mais sobre como podemos te ajudar, entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 96060-4053 (clique aqui para abrir a conversa), ou envie um e-mail para [email protected]

Veja também!

Como acionar o seguro viagem em uma emergência

Imigração no aeroporto: como funciona e o que fazer para não ser barrado

Importante!

Esse texto tem caráter informativo e busca orientar consumidores sobre seus direitos. Somente um advogado é capaz de oferecer atendimento jurídico. Texto revisado por Renato Haidamous Rampazzo, cadastrado na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), seção de São Paulo, sob o número 406.543.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, entre em contato pelo e-mail [email protected]

Compartilhar

Compartilhar pelo WhatsApp Compartilhar pelo Facebook mail_outline
Coronavírus (COVID-19): Clique aqui para ver orientações close