Certificado Internacional de Vacinação: o que é e como conseguir

Certificado Internacional de Vacinação: o que é e como conseguir

O Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), também conhecido como Carteira de Vacinação Internacional é um documento exigido para entrada em muitos países.

Para você passageiro, que pretende realizar viagens internacionais, é muito importante que se atente aos documentos necessários no momento do embarque, para que não haja transtornos ou frustações. Um desses documentos obrigatórios em muitos países é o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP).

A finalidade do certificado de vacinação é a de evitar a proliferação de doenças que porventura gerem epidemias de dimensão global.

O que é e quem emite o certificado de vacinação?

O Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), também conhecido como Carteira de Vacinação Internacional é um documento de extrema importância que comprova a vacinação contra doenças. É exigido por alguns países para a entrada de viajantes em seu território, uma vez que, ajuda na precaução e na não proliferação de doenças em seu país.

No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é o órgão responsável pela a emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia, sendo ele emitido de forma gratuita.

Quais vacinas são obrigatórias para viajar?

Hoje em dia, há somente uma vacina obrigatória, sendo ela a de Febre Amarela. Que é uma doença transmitida pelo mosquito (Aedes Aegypt) a pessoas não vacinadas. A vacinação está disponível em todos os postos de saúde do país. Uma única dose garante imunidade por toda a vida.

Quem determina a obrigatoriedade da vacina é a Anvisa, que recomenda de forma não obrigatória outras vacinas para a precaução contra doenças, sendo elas:

  • Febre amarela
  • Tétano
  • Difteria
  • Hepatites A e B
  • Tríplice Viral
  • Antirrábica

Quem necessita do documento?

Todo brasileiro e estrangeiro vacinado no Brasil, que irá viajar para o exterior e crianças a partir de 9 meses, já necessitam do documento para viajar. Em viagens nacionais o Certificado Internacional não é necessário.

Quem não pode tomar a vacina contra Febre Amarela?

A vacina da febre amarela é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, pessoas com alergia grave a ovo, pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 menor que 350, pessoas portadoras de doenças autoimunes, pessoas submetidas a tratamento com imunossupressores (que diminuem a defesa do corpo), mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas.

Como proceder quem não pode tomar a vacina contra Febre Amarela?

Para casos em que a vacinação da febre amarela ou a profilaxia for contraindicada, o viajante deve apresentar um atestado médico de isenção de vacinação, escrito em inglês ou francês. A Anvisa disponibiliza um modelo de atestado de isenção, mas ele pode ser apresentado em outro modelo, desde que contenha as mesmas informações. Quem deve preencher é o médico, contraindicando a vacina. O Regulamento Sanitário Internacional (RSI) estabelece que as autoridades de saúde de outros países devem considerar esse documento.

Como conseguir o Certificado Internacional de Vacinação?

1° passo: Tomar a Vacina

 Primeiro, você deve tomar a dose integral da vacina contra febre amarela. Ela é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Guarde o comprovante de vacinação, pois é necessário para conseguir a emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP).

A única vacina obrigatória é a da Febre Amarela, porém é necessário ser tomada 10 dias antes da viagem.

2° passo: Pedir o Certificado

A solicitação pode ser feita on-line pelo site https://sso.acesso.gov.br/login (prazo de 10 dias úteis) ou pode ser feita presencialmente com um cadastro prévio no CIVNET.

Documentos necessários:

  1. CPF e comprovante com foto.
  2. Comprovante de vacinação, constando a data de vacinação, fabricante e lote da vacina.
  3. Unidade de saúde que aplicou a vacina identificada no cartão de vacina.

3° passo: Receber o Certificado

Se feito pelo site, o certificado chegará por e-mail para imprimir em casa. O certificado é assinado digitalmente pela Anvisa e o viajante deve assiná-lo antes da realização da viagem.

Se feito presencialmente, o CIVP será emitido ao final do atendimento. A

assinatura é feita na entrega.  Caso haja menores de 18 anos que já assinam seu RG, estes devem estar presentes.

O Certificado tem validade vitalícia, portanto se você já possui esse CIVP, não é necessário a solicitação ou emissão de um novo.

Outras informações sobre o certificado de vacinação

Para mais conhecimento sobre o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia:

– Buscando por informações ou dúvidas sobre este serviço, entre em contato com a Anvisa em:

Coordenação de Saúde do Viajante em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados – COSVI/GIMTV/ANVISA

Fale com a Anvisa: 0800 642 9782

Email: [email protected]

Este é um serviço do Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Em caso de dúvidas, reclamações ou sugestões favor contactá-lo.

– Legislação:

RDC nº 21 de 31/03/2008, inciso III do Art. 1º do Anexo II.

– Para saber se o país exige o Certificado e consultar outras recomendações de saúde:

Acesse a página do CIVP no Portal da Anvisa e escolha o país de destino. Consulte também os países onde seu voo vai fazer escala ou conexão.

Esperamos ter ajudado a esclarecer algumas de suas dúvidas sobre como funciona o certificado de vacinação internacional e a conhecer um pouco mais sobre como emiti-lo.

Gostou do nosso conteúdo? Nos siga para receber mais assuntos como este!

Compartilhar

Compartilhar pelo WhatsApp Compartilhar pelo Facebook mail_outline
Seu voo atrasou ou foi cancelado nos últimos 5 anos? Você pode ter direito a compensação. Verificar grátis
Coronavírus (COVID-19): Clique aqui para ver orientações close