Imigração no aeroporto: como funciona e o que fazer para não ser barrado

Imigração no aeroporto: como funciona e o que fazer para não ser barrado

Uma das etapas obrigatórias em voos internacionais é a imigração no aeroporto. Veja como passar por ela sem problemas e conseguir chegar ao seu destino!

Banner 728x90 Banner 300x100

A imigração no aeroporto é um controle de entrada e saída de pessoas de um país. A fiscalização é comum e, na maioria dos casos, as coisas acontecem naturalmente. Trata-se de um protocolo de segurança que é repetido milhares de vezes pelos agentes oficiais de cada país, a fim de evitar que pessoas mal-intencionadas desembarquem ali. 

Entretanto, pode acontecer de você ser escolhido para prestar alguns esclarecimentos sobre suas intenções com a viagem. Por exemplo, é comum perguntarem se sua entrada é motivada por turismo, trabalho, estudo, convite ou outros motivos, onde você se hospedará e pedirem para ver sua passagem de saída do país (não precisa ser, necessariamente, de volta para o seu país de origem).

Nesse momento, caso não esteja bem preparado, um pequeno erro pode acabar com os planos de pisar em terras estrangeiras. Isso porque a imigração pode impedir a sua entrada no país. Entenda mais sobre o processo de imigração no aeroporto e saiba o que fazer para não ter sua entrada barrada.

Como funciona a imigração no aeroporto?

O processo de imigração é feito em casos de voos internacionais, seja na entrada ou na saída de passageiros de determinado país. Esta etapa é obrigatória e funciona como uma fiscalização, definindo se a pessoa poderá ou não desembarcar no país de destino.

Apesar de ser algo sério, todo o processo é bem simples. É necessário apresentar os documentos relativos à viagem, como visto, passaporte, passagem de ida e volta, entre outros. Você também terá que explicar o motivo da sua viagem – turismo, trabalho, estudo, entre outras razões. 

Sendo assim, a imigração busca saber quem são os indivíduos que querem desembarcar no país e quais são as suas motivações com a viagem, visando a segurança da nação. 

O que preciso para passar na imigração no aeroporto?

Os requisitos para passar com tranquilidade pela imigração no aeroporto dependerão do país pretendido. Além disso, dependerá também da relação do Brasil com este país em termos de política governamental e acordos internacionais.

Cada país tem seus próprios critérios

Antes de tudo, é fundamental que os passageiros estejam preparados para as perguntas básicas que serão feitas, sabendo que cada país tem seus próprios critérios.

Do mesmo modo que o Brasil tem seu próprio meio de aceite para que um estrangeiro entre de forma regular no território que compreende a nação, os brasileiros que desejam entrar em outros países precisam observar as regras vigentes dos locais em questão. É necessário lembrar-se de que, fora do Brasil, estamos sujeitos a um novo conjunto de regras e normas, onde a desobediência pode gerar desde multas até a prisão.

Exigências comuns dos países na imigração

Os documentos merecem a principal atenção. Estar com tudo que é exigido, inclusive em termos de validade, é crucial para não ter surpresas. Alguns países exigem documentos não apenas dentro da validade, mas também com uma validade estendida que ainda valha por 6 meses ou mais depois de passar pela imigração. Por exemplo, é comum a imigração exigir que ainda faltem 6 meses para que o passaporte chegue à sua data de validade. Por isso, fique atento!

Vale ressaltar que alguns documentos que são válidos e aceitos de forma oficial no Brasil (RG, por exemplo) podem não ter nenhuma relevância na imigração no aeroporto de outros países.

Outros países podem exigir, ainda, que o passageiro possua certificado de vacinação, declaração de valores com o mínimo para se manter durante dias da viagem, período de permanência no país, comprovante do local onde planejou ficar hospedado, endereços, passagem de volta etc. Essa lista pode variar a depender do país, da modalidade de visto e dos interesses declarados por cada indivíduo.

O portal Consular do Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) orienta os cidadãos sobre o que pode ser necessário para o momento de pegar as malas e deixar o Brasil, ainda que temporariamente. Confira!

Como não ser barrado na imigração no aeroporto

Apesar de ser um processo simples, a imigração é que define se você poderá ou não entrar no país de destino. Por isso, alguns cuidados são necessários para que você consiga prosseguir com a sua viagem. Veja quais são.

1 – Seja sincero

Ao ser questionado na imigração no aeroporto, busque sempre dizer a verdade. Os agentes são experientes e possuem técnicas para descobrir se você está mentindo. As perguntas serão feitas repetidas vezes e se mentir, acabará caindo em contradição. Diga a verdade sobre seu roteiro e suas intenções que tudo ficará bem.

2 – Comprove que tem data para retornar

Para combater a imigração ilegal, uma das formas de minimizar esse risco é conferir se o passageiro pretende voltar ao seu país de origem. Tentar entrar em um país sem ter a passagem de volta garantida pode ser um fator decisivo. Ter a passagem em mãos pode facilitar essa conversa.

3 – As aparências importam!

Mantenha sempre a cordialidade ao se comunicar com autoridades. Não altere o tom de voz. Estar calmo e disposto a colaborar pode fazer a diferença nessa experiência. Sabemos que em situações intimidadoras pode-se cometer alguns deslizes, mas lembre-se de que você está sendo analisado, então tudo o que fizer será relevante.

4 – Leve os documentos originais e impressos

Leve todos os documentos com a validade verificada. Seu passaporte será conferido e não será aceito caso esteja vencido. É importante demonstrar que seus vínculos com o Brasil estão mantidos e nada mudará em virtude da viagem. Uma boa dica é ter uma declaração do trabalho, sinalizando que está em período de férias, por exemplo. Tenha em mãos também o comprovante do local onde planejou ficar hospedado, endereços e a passagem de volta.

Fui barrado na imigração do aeroporto, quais são os meus direitos?

Se isso acontecer com você, é essencial que você mantenha a calma e saiba quais são os seus direitos, pois isso pode te ajudar.

Enquanto estiver sob responsabilidade da imigração no aeroporto estrangeiro, o passageiro tem direito a alimentação, segurança, assistência, ligações e a um local seguro para guardar suas coisas. Além disso, caso não fale a língua local, você também tem direito a um tradutor.

Os oficiais do país podem reter seus documentos, porém, eles devem ser devolvidos no momento do embarque de volta para o Brasil.

Você pode ficar retido por até três dias. Apesar disso, esse prazo pode ser estendido, mas apenas em casos excepcionais relacionados à falta de voos disponíveis para te trazer de volta.

Apoio do Consulado brasileiro

Uma dica importante para os viajantes é sempre ter o contato do consulado brasileiro. Assim, em caso de necessidade, você não estará desamparado.

Caso acredite ter sido vítima de discriminação, violência ou maus tratos, ou tenha verificado que seus direitos básicos não foram respeitados, você pode relatar todo o ocorrido ao Itamaraty de forma detalhada, enviando fotos e documentos com hora e data do voo no momento dos acontecimentos ou ao retornar ao Brasil. O e-mail para este tipo de contato é [email protected]. Quanto antes for feito o relato, maiores as possibilidades de o Itamaraty conseguir identificar e gerenciar junto ao país o que aconteceu.

Sabemos que muitos brasileiros são impedidos de entrar em alguns países que têm um controle alfandegário mais rígido e os motivos podem ser muitos. Alguns realmente não possuem as intenções permitidas, mas a maioria acaba sendo retida por não conseguir demonstrar suas intenções devido à falta de orientação e preparo.

Por isso, se você estiver bem orientado, não há razões para ficar temeroso ou ansioso. Com preparo e organização, sua viagem será um sucesso!

Para mais informações fornecidas pelo Itamaraty, confira aqui o que preparar antes de viajar.

Esperamos ter ajudado a esclarecer algumas de suas dúvidas sobre como funciona a imigração no aeroporto e a conhecer um pouco mais sobre os seus direitos.

Veja também!

10 dicas para a sua primeira viagem de avião

Seguro viagem: entenda o que é, para que serve e como contratar

Importante!

Esse texto tem caráter informativo e busca orientar consumidores sobre seus direitos. Somente um advogado é capaz de oferecer atendimento jurídico. Texto revisado por Renato Haidamous Rampazzo, cadastrado na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), seção de São Paulo, sob o número 406.543.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, entre em contato pelo e-mail [email protected]

Compartilhar

Compartilhar pelo WhatsApp Compartilhar pelo Facebook mail_outline
Coronavírus (COVID-19): Clique aqui para ver orientações close